ago 24 2016

Xadrez em alta!

Se tem uma estampa que nunca sai de moda é com certeza o XADREZ!

Com seus quadrados maiores ou mesmo mais compactos, a padronagem compõe produções para as mais variadas situações em qualquer época do ano.

E no armário masculino, as camisas xadrez estão, sem dúvida, entre as peças favoritas. Das flanelas aos panos mais leves, elas são daquelas peças obrigatórias.

Algumas ideias sempre bem vindas é utilizá-la aberta com sobreposição à uma camiseta, amarrada na cintura para dar um toque street style ao look ao até mesmo com sobreposição, como uma peça de várias camadas. Essa última opção combina muito bem no inverno combinado com um suéter ou cardigan.

Novidades em camisas xadrez manga curta que chegaram esse mês na loja:

14063794_1756732044609688_2930389401009054842_n 14095918_1756732041276355_7605852630342684003_n


ago 22 2016

Tendências Pimavera / Verão 2017

Bom dia!

Apesar de ainda estarmos no inverno, as lojas já estão se preparando para próxima coleção: primavera/verão 2017. E para você que aprecia ficar antenado nas tendências, separamos alguns temas que marcarão forte presença na próxima temporada.

As dicas abaixo foram destaque na 41ª edição do SPFW. Confira!

LISTRAS/ ESTILO NÁUTICO

As listras são as principais estrelas da temporada mais quente do ano. Elas estarão presentes no Estilo Navy ou Naútico. Abusem das listras, pois elas serão um tiro certo nas vendas e apostem no azul que é cor predominante, principalmente o azul marinho.

BARRA ABAULADA

Já falamos aqui da tendência das camisetas longline, lembram? Na coleção primavera/verão elas virão com barra abaulada, ou seja, mais arredondada. Juntamente com calças e short joggers formam o hit da estação.q48

STAMPARIA

Primavera e verão são duas estações muito animadas, por isso as peças masculinas acompanham esta alegria. A estamparia será composta de flores com fundo escuro (preto, azul marinho e verde oliva), folhagens, coqueiros e referências às cores vivas da floresta tropical.q48 Também veremos muitas estampas com grafismo digitalizado, transparência e fluidez, remetendo ao universo tecnológico.

As estampas também virão nas calças, com diversos motivos: florais, quadriculados, de frutas, etc. Esta dica veio especialmente das passarelas internacionais, como Milão, Londres e Paris.

moda-masculina-verao-2017

TECIDOS

Os tecidos predominantes serão: cetim, rendas, seda, transparências iridescentes, paetê, lurex, laminado prata, malha rede, sarja acetinada, algodão com elastano, linho, couro, tecidos maquinetados e tecidos 3D.

CAPA5

PALHETA DE CORES

Nas cores a cartela é mais discreta, sendo as cores predominantes: pérola, preto, rosê, nude rosado, beges, musgo, vermelho, marinho, azul royal, azul celeste, coral, vermelho e cinzas.q48

Porém, uma cor dentre as citadas é o tom das duas estações: azul. Se você gosta de peças com esta coloração, abuse!

DENIN

O jeans sai do momento destroyed e ganha nova lavagem. O  jeans attriction é a bola da vez, isto é, o jeans além de rasgado, ela ganha enormes buracos nas pernas que são isolados e separados. Destroyed clean é o jeans da vez.

O denin será claro, ou cinza ou muito desbotado (é praticamente o jeans bem usado e desgastado do trabalhador). Peças que façam remissão ao 3D são também muito fortes.

ACESSÓRIOS

Os acessórios serão bastante práticos, como as bolsas para homens. Elas poderão servir para carregar acessórios até a academia, a praia, o clube e até o trabalho.

Para proteger-se do calor com estilo, a coleção primavera/verão trouxe chapéus, especialmente no tom branco. E eles ficam bons tanto para ocasiões formais quanto informais, trazendo elegância ao seu visual.

As pulseiras náuticas continuam em alta.

SAPATOS

Os solados de 2017 vêm encorpados e trabalhados em borracha, especialmente na cor branca. São materiais leves e confortáveis, pensados principalmente para os dias mais quentes do ano. Porém, o resto do sapato prima pelos tons coloridos.

O bico fino continua em alta, assim como os tons metalizados, que são destaque inclusive nos tênis. É uma forma de garantir conforto sem abrir mão do estilo.

O estilo Tomboy também está forte para 2017, ou seja, aqueles calçados que podem ser utilizados tanto por homens quanto por mulheres (agêneros ou unissex). Como exemplo, podemos citar os mocassins e os calçados Oxford.

Fonte: http://tudoparahomens.com.br/


ago 22 2016

Tendências Pimavera / Verão 2017

Bom dia!

Apesar de ainda estarmos no inverno, as lojas já estão se preparando para próxima coleção:  primavera/verão  2017. E para você que aprecia ficar antenados nas tendências, separamos alguns temas que marcaram forte presença na próxima temporada.

As dicas abaixo foram destaque na 41ª edição do SPFW. Confira!

LISTRAS/ ESTILO NÁUTICO

As listras são as principais estrelas da temporada mais quente do ano. Elas estarão presentes no Estilo Navy ou Naútico. Abusem das listras, pois elas serão um tiro certo nas vendas e apostem no azul que é cor predominante, principalmente o azul marinho.q48

BARRA ABAULADA

Já falamos aqui da tendência das camisetas longline, lembram? Na coleção primavera/verão elas virão com barra abaulada, ou seja, mais arredondada. Juntamente com calças e short joggers formam o hit da estação.q48

ESTAMPARIA

Primavera e verão são duas estações muito animadas, por isso as peças masculinas acompanham esta alegria. A estamparia será composta de flores com fundo escuro (preto, azul marinho e verde oliva), folhagens, coqueiros e referências às cores vivas da floresta tropical.q48 Também veremos muitas estampas com grafismo digitalizado, transparência e fluidez, remetendo ao universo tecnológico.

As estampas também virão nas calças, com diversos motivos: florais, quadriculados, de frutas, etc. Esta dica veio especialmente das passarelas internacionais, como Milão, Londres e Paris.

moda-masculina-verao-2017

TECIDOS

Os tecidos predominantes serão: cetim, rendas, seda, transparências iridescentes, paetê, lurex, laminado prata, malha rede, sarja acetinada, algodão com elastano, linho, couro, tecidos maquinetados e tecidos 3D.q48

CAPA5

PALHETA DE CORES

Nas cores a cartela é mais discreta, sendo as cores predominantes: pérola, preto, rosê, nude rosado, beges, musgo, vermelho, marinho, azul royal, azul celeste, coral, vermelho e cinzas.q48

Porém, uma cor dentre as citadas é o tom das duas estações: azul. Se você gosta de peças com esta coloração, abuse!

DENIN

O jeans sai do momento destroyed e ganha nova lavagem. O  jeans attriction é a bola da vez, isto é, o jeans além de rasgado, ela ganha enormes buracos nas pernas que são isolados e separados. Destroyed clean é o jeans da vez.

O denin será claro, ou cinza ou muito desbotado (é praticamente o jeans bem usado e desgastado do trabalhador). Peças que façam remissão ao 3D são também muito fortes.q48

ACESSÓRIOS

Os acessórios serão bastante práticos, como as bolsas para homens. Elas poderão servir para carregar acessórios até a academia, a praia, o clube e até o trabalho.

Para proteger-se do calor com estilo, a coleção primavera/verão trouxe chapéus, especialmente no tom branco. E eles ficam bons tanto para ocasiões formais quanto informais, trazendo elegância ao seu visual.

As pulseiras náuticas continuam em alta.

SAPATOS

Os solados de 2017 vêm encorpados e trabalhados em borracha, especialmente na cor branca. São materiais leves e confortáveis, pensados principalmente para os dias mais quentes do ano. Porém, o resto do sapato prima pelos tons coloridos.

O bico fino continua em alta, assim como os tons metalizados, que são destaque inclusive nos tênis. É uma forma de garantir conforto sem abrir mão do estilo.

O estilo Tomboy também está forte para 2017, ou seja, aqueles calçados que podem ser utilizados tanto por homens quanto por mulheres (agêneros ou unissex). Como exemplo, podemos citar os mocassins e os calçados Oxford.

Fonte: http://tudoparahomens.com.br/


ago 19 2016

Pernas à mostra!

Bom dia!

Apesar de ainda estarmos no inverno, o calor vem marcando forte presença nos últimos dias, não é mesmo?! E nesses dias de altas temperaturas, usar uma bermuda é a melhor alternativa.

A bermuda é um item simples e fácil de escolher e combinar. Só é preciso usar aquela dica básica de todos os itens de moda: bom senso.

Para os homens baixos, as bermudas abaixo do joelho não são indicadas, pois elas dão a impressão da perna ser ainda menor. Da mesma forma, as bermudas muito curta também não são legais nos homens muito altos.

Para não ter erro, a melhor solução é sempre procurar por bermudas de no máximo dois dedos abaixo do joelho ou dois dedos acima, mas sem esquecer da dica anterior.

Confira o novo modelo que acabamos de receber em 2 opções de cores que combinam facilmente com tudo.13962634_1754011618215064_2042621373111468211_n


ago 17 2016

Trend Alert: Camisetas Longline

Uma nova tendência, vinda do verão norte-americano, anda fazendo a cabeça de homens fashionistas e celebridades: são as Camisetas Longline, que possuem a barra estendida. Esse estilo foi muito popular nos anos 90 (principalmente por conta dos jogadores de basquete e rappers) e está de volta ao cenário da moda.

Mais compridas, podem vir em cores neutras e básicas, estampadas, ou lisas com apenas a barra estampada. São extremamente versáteis e muito estilosas.

Esse ano, as longlines se tornaram must-have no armário masculino em diversas variações e podendo ser usadas de várias formas: criando camadas por baixo de jaquetas, camisas e outras camisetas, com calça skinny, short jeans e tênis.

Dica: se você é muito baixo, evite, pode criar a impressão de ser ainda menor.

Veja abaixo algumas inspirações:

Vários famosos já aderiram a moda também.

Uma outra versão, variante da LongLine, é a camiseta LongTail (tail em inglês: calda), onde a parte de trás da barra é mais comprida que a da frente.

long tail

Fonte: http://www.homenscomestilo.com/


ago 12 2016

Coquetel Dia dos Pais

Como acontece todo ano, em comemoração ao Dia dos Pais estamos com um delicioso coquetel na loja. Muitas delícias e um chopp geladinho para você saborear enquanto escolhe um presente de qualidade para o paizão.

E para maior comodidade e facilidade, estamos atendendo até às 20h.

Horário2

Algumas delícias do nosso coquetel:


14021631_1751792505103642_3025473683774494827_n13975292_1751792501770309_2517734605304004712_o13938569_1751792508436975_5841136420206693865_n13926025_1751792568436969_489893083600110132_o

Emocione seu super-herói com presentes Estivanellicg. *Parcelamento em 6x sem juros


ago 10 2016

Sugestões para o Dia dos Pais

O programa Festas & Eventos TV esteve recentemente em nossa loja e selecionou diversas opções de presentes para ajudar você na hora de escolher o presente do seu pai. Aperta o play e confira!
Emocione seu super-herói com presentes Estivanelli e aproveite nossa condição especial de pagamento: parcelamento em 6x sem juros. #vempraestivanellicg

 


ago 8 2016

Ousadia para a semana!

Bom dia!

Mais uma semana produtiva começando e para os homens que podem ousar na produção, nossa dica é essa lindíssima camisa fashion com detalhes internos na estampa Paisley.

Para quem não conhece, a estampa Paisley foi famosa nos anos 70 e hoje continua em alta. Sua origem é indiana e persa, surgindo no século 18 e integrando as estampas de xales de caxemira com seu formato de folha distorcida. O nome faz alusão ao centro têxtil da Escócia, por ter sido levada ao Reino Unido pela Companhia Britânica das Índias Orientais e depois ser produzida na cidade de Paisley.

Nos dias atuais, ela ganha novas possibilidades e aparece em diferentes conjuntos de imagens, que misturam seu desenho a outros motivos indianos, reforçando sua origem.

A Estivanelli já apostou na estampa há várias temporadas e dessa vez não poderia ser diferente.

Confira de perto todos os detalhes da peça:

13882406_1745862299029996_2223993767612696578_n

13882675_1748761282073431_8094901920874372668_n

13882350_1748761255406767_7251190040377205737_n

E para os pais fashionistas é uma ótima opção para presentear nesse Dia dos Pais. #ficaadica

 


ago 5 2016

Opções para presentear o paizão!

capa_facebook-ESTIVANELLIAinda tem dúvidas sobre o que dar de presente no Dia dos Pais? Para te ajudar, separamos algumas opções para todos os tipos de pais. Seja ele esportista, fashion, básico…aqui na Estivanelli tem tudo o que você procura. Confira!

1. PAI FASHION

Para aqueles pais que estão sempre antenados nas tendências da moda, a dica é escolher looks que estão em alta, e que agregam um toque fashionista.

FotorCreated3!

2. PAI ESPORTISTA

As opções para os pais esportistas procuram agradar um estilo de pai mais despojado e aventureiro.

FotorCreated4

3. PAI CLÁSSICO

Esse é o perfil de pais com visual mais tradicional e discreto. Geralmente eles apostam na combinação de peças atemporais. Dentre elas estão as calças, camisas e sapatos em tons mais escuros ou neutros, que são fáceis de combinar.

FotorCreated

4. PAI BÁSICO

Os pais com o estilo mais básico são adeptos do lema “menos é mais”, e optam por peças chaves que combinam com tudo. Você pode presenteá-lo com carteiras, calçados e até mesmo camisas. No caso das camisas, prefira aquelas lisas, sem muitos detalhes.

FotorCreated2

Independente do estilo do seu pai, o presente certo está aqui!

*Aproveite nossa condição especial de pagamento: Parcelamento em 6x sem juros.


ago 3 2016

10 lições de campeões de vela para empreendedores

Nesta sexta-feira, dia 05 de agosto, o mundo se volta para o Brasil. Começa as Olimpíadas 2016. E aproveitando o tema esporte, hoje vamos abordar 10 lições de campeões de vela para empreendedores. As lições foram retiradas do livro  “O Espírito de Equipe”, publicado em 1988 pela editora Brasiliense. Um livro carregado de lições sobre marketing esportivo, competição, formação e gestão de equipes de alto desempenho, liderança, desafios pessoais e gerenciamento de projetos.

Imagine um grupo de dez dos melhores velejadores do mundo tentando ganhar uma corrida ao redor do planeta contra outras tripulações igualmente estelares. Essa é a história real narrada por Daniel Hirsch. Hirsch foi um dos tripulantes do L’Esprit d’Équipe, veleiro francês que, em 1986, venceu a regata de volta ao mundo Whitbread. Atualmente a  competição se chama Volvo Ocean Race e é disputada em diversas etapas ao longo de vários meses. É uma das mais duras competições de vela oceânica do planeta. Não por acaso, seu lema atual é “Life at the Extreme” (a vida em condições extremas).

Mesmo publicado há mais de 27 anos,  vale a pena a leitura pelos seus bons e válidos ensinamentos de empreendedorismo.  O livro está esgotado mas há exemplares usados em livrarias. Infelizmente, não há edição digital; só em papel.

Veja abaixo as 10 lições que podem ser extraídas do relato de Hirsch:

1. Recrutamento

Recrutar alguns dos melhores profissionais do mundo não é fácil. Mas isso era indispensável para vencer uma regata como a Whitbread. Os dez velejadores que competiram na regata eram muito jovens, mas todos já haviam vencido campeonatos importantes antes. É um bom começo para quem vai montar um time de alto desempenho.

2. Seleção

A preparação para a Whitbread começou dois anos antes da largada. Assim que o L’Esprit d’Équipe ficou pronto, foi inscrito numa sucessão de campeonatos de vela na Europa e nos Estados Unidos. Mais de 30 tripulantes foram testados nesses campeonatos para que o capitão Lionel Péan selecionasse apenas 10 para correr a volta ao mundo. Testar, na prática, os candidatos revelou-se uma ótima maneira de selecioná-los.

3. Responsabilidade total

Uma vez escolhida essa tropa de elite, cada velejador recebeu atribuições específicas e se tornou 100% responsável por elas. As funções incluíam aparelhar o mastro, providenciar suprimentos para a volta ao mundo, trocar a quilha do veleiro, instalar equipamentos eletrônicos, encomendar as velas e muitas outras tarefas de preparação. Lionel Péan interferiu muito pouco nesse trabalho. Ele havia escolhido os melhores profissionais e confiou neles.

4. L’Esprit d’Équipe

A participação do L’Esprit d’Équipe na Whitbread era parte de um conjunto de ações de marketing da Bull, na época a maior fabricante de computadores da França. A Bull buscava valorizar sua marca e motivar seus milhares de funcionários. Patrocinar um veleiro na Whitbread foi uma das maneiras encontradas para isso.

O nome L’Esprit d’Équipe tornou-se uma espécie de lema da companhia. Funcionou para melhorar a imagem corporativa para o público externo e também para nortear ações de endomarketing e engajamento de funcionários. Às vezes um bom nome faz toda a diferença.

5. O barco

Muitos dos veleiros que disputaram a Whitbread em 1985 e 1986 quebraram no caminho e perderam uma ou mais etapas da corrida por causa disso. Ter um barco confiável era fundamental. Lionel Péan optou por reformar um veleiro que já havia corrido a Whitbread antes. Isso garantiu sua robustez, mas não a velocidade, que teve de ser melhorada por meio de seguidos aprimoramentos durante a etapa de preparação. O L’Esprit ganhou novo mastro, novas velas, nova quilha. A geometria da popa foi modificada e o barco ficou mais leve. Tudo isso demorou cerca de dois anos. Para um projeto complexo, começar a preparação com a devida antecedência é fundamental.

6. Testes, testes, testes

As modificações que tornaram o L’Esprit d’Équipe um veleiro muito ágil para seu tamanho não foram feitas todas de uma vez. O barco participou de seguidos campeonatos nos meses que antecederam a volta ao mundo. Depois de cada um deles, Péan e sua tripulação avaliavam L’Esprit e alteravam o que fosse necessário nele.

O processo é conhecido no mundo do empreendedorismo: trata-se de testar o produto no uso prático e modificá-lo em função dos resultados dos testes. Esse ciclo se repete seguidas vezes até que se atinja um alto nível de excelência.

7. A bordo

Como ocorreu na etapa de preparação, durante a competição cada tripulante tinha 100% de responsabilidade sobre o barco. Todos se revezavam ao leme e nas demais posições a bordo. O capitão só intervinha quando era realmente necessário. Mais uma vez, o time de elite fez toda a diferença para levar o veleiro à vitória. 

 8. Apagando incêndios

Veleiros de regata velejam no limite do que o equipamento e a tripulação suportam. Um pequeno erro de um tripulante pode rasgar uma vela ou quebrar o mastro, por exemplo, levando o time à derrota.  

Quando se correm riscos desse tipo, é impossível acertar sempre. No L’Esprit, quando algum desastre acontecia, todos os tripulantes se envolviam para resolver o problema da melhor maneira possível. E ninguém foi expulso do barco por ter errado. 

9. Mais testes

Mesmo após a longa etapa de preparação, o L’Esprit d’Équipe era sempre um projeto em andamento. Entre duas etapas consecutivas da Whitbread havia sempre uma escala (em 1985, as escalas foram na África do Sul, na Nova Zelândia e no Uruguai).  Essa pausa de cerca de um mês era usada para fazer aperfeiçoamentos adicionais no barco e corrigir eventuais problemas. Isso também não difere muito do que ocorre nas empresas modernas. Um produto inovador nunca está 100% pronto. Sempre há algo mais a melhorar nele. 

10. Tensões

Numa situação de competição extrema como aquela, dramas individuais emergiam de tempos em tempos. Dan Hirsch, o autor do livro, chegou a pensar em abandonar a regata numa das paradas depois de cometer um erro ao leme que levou uma vela importante a ser rasgada. Desistiu quando percebeu que os olhares reprovadores de Péan e do restante da tripulação tinham uma razão: todos o viam como um dos melhores velejadores do mundo e esperavam que ele conseguisse dominar o veleiro na difícil situação que havia encontrado ao leme.

Hirsch percebeu que a surpresa dos colegas com sua falha era, na verdade, o reconhecimento de sua competência. O episódio marcou sua integração definitiva à equipe.

Bônus: o que aconteceu depois

Depois de correr três voltas ao mundo com diferentes nomes — 33Export, L’Esprit d’Équipe e L’Esprit de Liberté — o veleiro encontrou outro propósito. Em 2005, foi completamente reformado e transformou-se num barco turístico que faz cruzeiros na Antártica.

Os velejadores que ganharam a Whitbread em 1986 têm, hoje, por volta de 60 anos. Vários deles, incluindo o capitão Lionel Péan, reencontraram-se em 2011 na Volvo Ocean Race Legends Regatta, em Alicante, na Espanha.

Mesmo competindo num veleiro construído 30 anos antes, o time de Péan venceu mais essa regata contra outros campeões da volta ao mundo a vela.
Fonte: http://exame.abril.com.br/