out 20 2014

Autoconfiança é decisiva para atingir objetivos, indica pesquisa

Alunos que foram encorajados a entrar em MBA fictício tiveram mais disposição para fazer inscrição mesmo sem as notas necessárias do que os que foram apenas rejeitados

Kanye West: Yeezy é o melhor exemplo de auto-confiança da atualidade (Foto: Getty Images)

Tudo é uma questão de autoconfiança. Se você ainda duvidava disso,  uma pesquisa da Universidade do Estado de Ohio, dos Estados Unidos, comprova mais uma vez a regra do sucesso.. O estudo, publicado no jornal científico Basic and Applied Sociel Psychology, confirmou que a imagem que fazemos de nós mesmos, sobretudo em relação a objetivos pessoais, tem total relação com resultados obtidos.

Os pesquisadores chamaram 67 alunos de administração ou psicologia que não tinham notas lá muito boas para um teste. Eles foram divididos em quatro grupos, e todos foram convidados a entrar em um novo MBA de “psicologia empresarial”. A pegadinha é que este curso não existe, e os estudantes souberam disso depois de concluído o experimento.

Todo mundo teve que mandar uma espécie de boletim com as notas do período anterior, nos EUA chamado de GPA, e descrever por que estavam confiantes que entrariam no MBA.
O primeiro grupo, de controle, teve como resposta um “sinto muito, você não passou”. O segundo foi avisado sobre ter ficado 10% abaixo do necessário, e só.

O terceiro grupo soube que ficou 10% abaixo do exigido, mas que poderia fazer a inscrição mesmo assim pois era “improvável” que fosse rejeitado. O quarto grupo, por fim, também teve a resposta sobre os 10% abaixo do preciso, mas recebeu uma encorajadora resposta sobre ser perfeito para o curso, inclusive com o aviso que dali poderiam sair empregos.

Os alunos dos grupos um e dois, avisados de que não tinham passado, não fizeram inscrições. No terceiro grupo, alguns quiseram tentar a sorte mesmo com o aviso de que estavam 10% abaixo do necessário. E, no quarto, muitos seguiram adiante mesmo com notas a desejar.

“A autoconfiança cumpriu um papel aqui”, disse Patrick Carroll, professor assistente de psicologia que cuidou do estudo, em comunicado. “Estudantes se sentiram mais confiantes de que poderiam ser bem sucedidos como psicólogos empresariais quando receberam um apoio. Às vezes estudantes têm notas, motivação e habilidade, mas simplesmente por falta de auto-confiança deixam de perseguir objetivos que são realistas”. Não caia nesta.

Fonte: GQ


out 15 2014

Conforto: Short Microfibra

Leve e altamente absorvente, a Microfibra não mancha e nem enruga facilmente, tornando o short neste tecido uma peça prática além de muito confortável.

Aqui na Estivanelli, você encontra modelos 2 em 1, que permitem que você tenha uma maior variedade na hora de compor suas produções. Aposte!


out 3 2014

Tendência: Vermelho

A cor que é associada ao poder, à paixão e aos sentimentos mais intensos do ser humano, apareceu nos desfiles das semanas de moda internacionais e nacionais. Também é sucesso entre formadores de opinião e frequentemente vista nos sites de street style.

A cor, que já vinha marcando presença no Inverno, promete continuar firme e forte na temporada de Verão 2015, acrescentando vida e energia às produções. Os mais ousados podem optar por um terno na cor, mas para aqueles que ainda não se sentem muito à vontade em um look total, escolher uma camisa vermelha e combiná-la com um jeans ou um paletó de tom neutro é um jeito fácil de seguro de incorporar a tendência.


jul 7 2014

Boots

As boots são perfeitas para esses dias de muita chuva e frio do inverno. Separamos lindos modelos de boots Estivanelli. Venha nos visitar e escolher a sua favorita!


mai 30 2014

Conheça as 5 maiores maldições da Copa.

Os supersticiosos de plantão já estão de olho na Copa do Mundo. O torneio vai começar a sua 20ª edição no próximo dia 12 de junho com cinco grandes “maldições” a serem quebradas, e duas delas envolvem diretamente a seleção brasileira, que buscará o hexacampeonato jogando em casa.

Felipão, Cristiano Ronaldo, uruguaios e seleções da Europa em geral precisarão quebrar tabus históricos para conquistar a Copa do Mundo este ano. O treinador brasileiro luta contra a escrita de nenhum outro na história da seleção ter conseguido vencer duas Copas como técnico.

Já o português vai encarar a sina dos melhores jogadores do mundo, que fracassaram em todas as outras edições da Copa. Os europeus, que só ganharam o primeiro Mundial fora de seu continente em 2010, 80 anos depois da criação da Copa do Mundo, terão que buscar uma conquista inédita em território americano.

Confira abaixo as cinco maiores maldições que rondam a Copa do Mundo de 2014.

Maldições que rondam a Copa do Mundo de 2014
  • 1 – A ‘zica’ da Copa das Confederações

    Disputada desde 1992 (como Troféu Rei Fahd) e oficializada pela Fifa em 1997, a Copa das Confederações tem uma histórico de ‘zicar’ seus campeões. Nenhum deles conseguiu vencer a Copa do Mundo seguinte. O Brasil sofreu com essa ‘maldição’ ao conquistar o torneio em 1997, 2005 e 2009, sofrendo com fracassos nos Mundiais de 1998, 2006 e 2010. Agora, é novamente o atual campeão. Vai ter maldição?

  • 2 – Copa América também dá azar

    Nenhum país que chegou como campeão sul-americano ganhou a Copa do Mundo. E essa maldição começou cedo: a Argentina disputou a Copa de 1930 como campeã sul-americana e acabou em 2º lugar. O Brasil, por exemplo, ganhou a competição continental em 1949. Um ano depois, vivemos o Maracanazo. O Uruguai é o atual desafiante dessa ‘zica’: foi campeão da Copa América de 2011.

  • 3 – Melhor do mundo não ganha… o mundo

    Nunca o jogador que chegou à Copa com a condição de melhor do mundo no ano anterior saiu campeão do Mundial. O Brasil foi vítima desse mal em 1998 e 2006, com Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho, respectivamente. Messi, da Argentina, foi o último caso, em 2010. Agora, é a vez do português Cristiano Ronaldo lutar contra esse tabu, embora Portugal não seja uma das favoritas ao título este ano.

  • 4 – Nada de bi mundial para os técnicos brasileiros

    Nenhum técnico campeão mundial com o Brasil conseguiu repetir o feito no mesmo cargo. Felipão, vencedor em 2002, terá essa missão em 2014. Zagallo, técnico no tri de 1970 no México, perdeu em 1974 e 1998. Ganhou como coordenador em 1994 com Parreira, que tentou de novo em 2006 e também fracassou. Vicente Feola, técnico do primeiro título (1958), também não foi feliz na 2ª tentativa, em 1966.

  • 5 – Europeus não ganham no continente americano

    As sete Copas disputadas por aqui até agora foram vencidas por times da América do Sul. Brasil, campeão em 1962 (Chile), 1970 (México) e 1994 (EUA), Uruguai, com os títulos de 1930 (em casa) e 1950 (Brasil), e Argentina, campeã em 1978 (em casa) e 1986 (México) levaram os canecos até hoje. O único título europeu fora de seu continente foi a Copa de 2010, com a Espanha, na África do Sul.

    Fonte: UOL