dez 19 2014

Horário Especial de Natal

Confira nossos horários especial de Natal e boas compras!

horárionatal


dez 19 2014

Produções para o Ano Novo

camisas1 imaem2

A camisa branca é a predileta do look masculino para passar a virada do ano. A peça é versátil e possibilita diversas produções.

Confira alguns looks de inspiração para o ano novo com camisa branca:

branco

Imagem: Reprodução.


dez 18 2014

Santa areia!

Foto: Paul Kane

Vai para o litoral e não tem nenhuma academia por perto? Tudo bem. Você pode conseguir um corpo sarado enquanto curte a vida perto do mar. Como? Correndo na areia. O médico do esporte Hugh Pinnington, da Universidade Notre Dame (Austrália), descobriu em um estudo que as passadas dadas na praia são mais eficientes para queimar gordura, turbinar a musculatura dos membros inferiores e aumentar a mobilidade do que as passadas dadas em outros tipos de piso. Sem contar que o visual é motivante para praticar atividade física, certo? Aqui está o caminho para você arrepiar.

Tchau, pança!
Ninguém quer exibir, na praia ou em qualquer outro lugar, uma barriga que mais parece uma boia, certo? Correr na areia fofa ajuda você a detonar gordura mais rapidamente. Segundo Pinnington, 30 minutos da atividade gastam a mesma quantidade de energia do que treinar 45 minutos na grama ou numa pista de cooper. “Nessa meia hora, é possível queimar até 500 calorias”, afirma Thiago Porrozzi, formado em educação física pela Universidade Gama Filho (UGF-RJ) e diretor da assessoria esportiva Circuito da Praia, no Rio de Janeiro. A razão para a atividade física na areia proporcionar maior gasto energético? Você faz mais força para manter o ritmo do movimento. “Ao pisar no solo, seu pé afunda. Aí, é necessário grande trabalho motor da musculatura da perna para impulsionar o corpo e dar o próximo passo”, afirma Cristiano Frota de Souza Laurino, o ortopedista de São Paulo membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot) e diretor-médico da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAT).

Pernas potentes
Poucos esportes turbinam tanto os membros inferiores quanto a corrida na praia. Motivo: como seus pés afundam na areia, o tempo de contato deles com a superfície é maior do que com outros tipos de solo. “Então, mais músculos das pernas são ativados”, explica Pinnington. “A atividade desenvolve bastante a força dos quadríceps, isquiotibiais, glúteos, flexores do quadril e das panturrilhas”, enumera Laurino. Se quiser turbinar ainda mais a potência das pernas, invista em tiros (piques) em dunas. “Treinos de subida na areia são ótimos para aumentar  explosão e força muscular”, indica Porrozzi. “É um exercício que aprimora, ao mesmo tempo, seu condicionamento aeróbico e anaeróbico. Ou seja, é uma atividade completa”, diz Jock Campbell, treinador australiano que há mais de 20 anos orienta trabalhos na praia para atletas profissionais de diversas modalidades. Faça assim: suba a duna na maior velocidade que conseguir e desça trotando. Isso é uma série. Mande de 6 a 10, com intervalo de 1 minuto entre elas.

Menos lesão
O risco de você se machucar correndo na praia é menor do que em pisos duros, como asfalto e concreto. Isso porque a areia amortece o impacto da corrida. “Como o tempo de contato do pé no chão é maior, essa força é distribuída no solo (veja infográfico Dissipe Contusões)”, diz Laurino. O choque que as passadas causam no corpo é um dos grandes responsáveis por lesões, como tendinite e fratura por estresse. Exercitar-se em um terreno fofo também desenvolve a propriocepção (capacidade do cérebro de reconhecer o posicionamento das partes do seu corpo sem precisar da visão). Quanto mais apurada for essa habilidade, menor o risco de você fazer movimentos incorretos, que podem causar contusões musculares ou torções. Mais: segundo Pinnington, quando você corre na areia ela se molda ao redor do pé, reduzindo a pronação e a supinação da passada (inclinação do pé para dentro ou para fora, respectivamente). Aí, você fica menos suscetível a sofrer entorses nos tornozelos e joelhos.

PEGUE A TRILHA CERTA
As vantagens de treinar nas diferentes partes da praia

• Areia fofa
A textura do terreno exige grande esforço de você, para se movimentar. Você queima muitas calorias e desenvolve força e resistência muscular.

• Areia molhada
Como é mais fácil se mover nesse piso, você se cansa menos. É ideal para fazer treinos longos (acima de 40 minutos) ou de velocidade (intervalados).

COM OU SEM TÊNIS?
Prós e contras de correr com ou sem calçado

“Ao correr descalço, o contato do pé com o solo, sem nada para diminuir a sensibilidade, turbina ainda mais a propriocepção (leia mais no item Menos Lesão)”, diz Porozzi. “Além disso, traz maior sensação de bem-estar.” Mas, sem tênis, você pode queimar o pé na areia quente ou se machucar ao pisar em pedras, conchas, espetos… É preciso tomar cuidado. Se botar tênis, passe vaselina nos pés antes de vestir as meias. Assim, você diminui o atrito da pele com grãos de areia que podem entrar no calçado e evita bolhas.

Matéria: http://menshealth.abril.com.br/


dez 17 2014

Munhoz usa Estivanelli

24876 24977 24868 24774 25090 24985 25079

O cantor Munhoz, da dupla Munhoz e Mariano, usou diversas produções da Estivanelli em seus shows.


dez 16 2014

Para ler nas férias

 

"O Irmão Alemão" (Foto: Divulgação)

O Irmão Alemão

Chico Buarque; Companhia das Letras, 240 págs.
Ainda há quem o veja como um forasteiro na literatura. Bobagem. Chico Buarque começou a se dedicar às letras bem antes da música. Aos 15 anos, já assinava crônicas e, na adolescência, o ofício que ambicionava era o de Rubem Braga. Aos 22, teve um conto publicado no prestigiado suplemento literário de O Estado de S. Paulo. Fazenda Modelo, seu primeiro livro, é de 1979. Depois vieram os romances Estorvo (1991), Benjamim (1995), Budapeste (2003) e Leite Derramado (2009), que venceu o Prêmio Jabuti. Para quem leu a obra, impossível não notar uma curva ascendente. Gestado nos últimos cinco anos, O Irmão Alemão é um passo além. O romance tem traços autobiográficos. O pai de Chico, Sérgio Buarque de Holanda, teve um filho com uma alemã quando viveu por lá. A relação do protagonista com o pai intelectual também ecoa na obra.

Doutor Sono (Foto: Divulgação)
Doutor Sono

Stephen King; Suma de Letras, 338 págs.
Se você viu O Iluminado, de Stanley Kubrick, certamente já se pegou imaginando que fim levou o menino cujo pai ensandecido (Jack Nicholson) por pouco não o matou. Mais de 30 anos após concluir o livro que inspirou o filme, Stephen King responde à pergunta. Lançado agora no Brasil, Doutor Sono conta o que aconteceu com o garoto. Aos 30 anos, ele emprega-se num hotel psiquiá­trico. Lá, graças à capacidade de fazer contato com quem já bateu as botas, ajuda a confortar pacientes à beira da morte. Tudo vai bem até o rapaz conhecer uma menina também com poderes especiais e uma trupe pra lá de sombria.

 

Noites Lebloninas (Foto: Divulgação)

 

Noites Lebloninas
João Ubaldo Ribeiro; Alfaguara, 104 págs.
Antes de morrer, em julho, João Ubaldo Ribeiro trabalhava numa série de contos acerca da boemia carioca. Só terminou dois, lançados agora, que comprovam seu talento com narrativas curtas.

Judas (Foto: Divulgação)

Judas

Amós Oz; Companhia das Letras, 368 págs.
O israelense Amós Oz é um dos ficcionistas mais relevantes de hoje. O protagonista de seu novo livro é um estudante cuja vida vira de ponta-cabeça, em meio a uma paixão sem futuro numa Jerusalém periférica.

Tudo ou Nada (Foto: Divulgação)

Tudo ou Nada

Malu Gaspar; Record, 546 págs.
De autoria da jornalista Malu Gaspar, o livro ajuda a explicar como o empresário Eike Batista deixou o clube de bilionários, passou a dever uma fortuna e a correr o risco de acabar atrás das grades.

Jimi Hendrix por Ele Mesmo (Foto: Divulgação)

Jimi Hendrix por Ele Mesmo

Alan Douglas e Peter Neal; Zahar, 211 págs. 
Alan Douglas, produtor e amigo de Hendrix, e o documentarista Peter Neal recorreram a entrevistas, escritos, letras e diários do guitarrista para contar sua história segundo ele mesmo.

Sócrates (Foto: Divulgação)

Sócrates

Tom Cardoso; Objetiva, 248 págs.
O jornalista Tom Cardoso reconstitui a vida de excessos do ídolo do Corinthians, capitão da seleção da brasileira de 1982, médico por formação, irmão do Raí e um dos líderes da Democracia Corintiana.

Fonte: GQ


dez 15 2014

Camisa Jeans nada básica

Uma única peça é capaz de acrescentar estilo na sua produção. A camisa jeans abaixo foge do padrão comum e tira qualquer look do básico. Você pode montar uma combinação jeans + jeans (como na foto com o modelo)  ou fazer sobreposição com a camisa usando uma t-shirt lisa por baixo.

No closet é sempre bom ter uma peça dessas, a qual sozinha arremata a produção sem precisar de complementos.
montagem1 post2


ago 18 2010

Um novo espaço!

Clientes,

Agora temos um novo espaço para conversarmos!

Todos os dias você encontrará aqui novidades. Esperamos que gostem.