dez 18 2014

Santa areia!

Foto: Paul Kane

Vai para o litoral e não tem nenhuma academia por perto? Tudo bem. Você pode conseguir um corpo sarado enquanto curte a vida perto do mar. Como? Correndo na areia. O médico do esporte Hugh Pinnington, da Universidade Notre Dame (Austrália), descobriu em um estudo que as passadas dadas na praia são mais eficientes para queimar gordura, turbinar a musculatura dos membros inferiores e aumentar a mobilidade do que as passadas dadas em outros tipos de piso. Sem contar que o visual é motivante para praticar atividade física, certo? Aqui está o caminho para você arrepiar.

Tchau, pança!
Ninguém quer exibir, na praia ou em qualquer outro lugar, uma barriga que mais parece uma boia, certo? Correr na areia fofa ajuda você a detonar gordura mais rapidamente. Segundo Pinnington, 30 minutos da atividade gastam a mesma quantidade de energia do que treinar 45 minutos na grama ou numa pista de cooper. “Nessa meia hora, é possível queimar até 500 calorias”, afirma Thiago Porrozzi, formado em educação física pela Universidade Gama Filho (UGF-RJ) e diretor da assessoria esportiva Circuito da Praia, no Rio de Janeiro. A razão para a atividade física na areia proporcionar maior gasto energético? Você faz mais força para manter o ritmo do movimento. “Ao pisar no solo, seu pé afunda. Aí, é necessário grande trabalho motor da musculatura da perna para impulsionar o corpo e dar o próximo passo”, afirma Cristiano Frota de Souza Laurino, o ortopedista de São Paulo membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot) e diretor-médico da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAT).

Pernas potentes
Poucos esportes turbinam tanto os membros inferiores quanto a corrida na praia. Motivo: como seus pés afundam na areia, o tempo de contato deles com a superfície é maior do que com outros tipos de solo. “Então, mais músculos das pernas são ativados”, explica Pinnington. “A atividade desenvolve bastante a força dos quadríceps, isquiotibiais, glúteos, flexores do quadril e das panturrilhas”, enumera Laurino. Se quiser turbinar ainda mais a potência das pernas, invista em tiros (piques) em dunas. “Treinos de subida na areia são ótimos para aumentar  explosão e força muscular”, indica Porrozzi. “É um exercício que aprimora, ao mesmo tempo, seu condicionamento aeróbico e anaeróbico. Ou seja, é uma atividade completa”, diz Jock Campbell, treinador australiano que há mais de 20 anos orienta trabalhos na praia para atletas profissionais de diversas modalidades. Faça assim: suba a duna na maior velocidade que conseguir e desça trotando. Isso é uma série. Mande de 6 a 10, com intervalo de 1 minuto entre elas.

Menos lesão
O risco de você se machucar correndo na praia é menor do que em pisos duros, como asfalto e concreto. Isso porque a areia amortece o impacto da corrida. “Como o tempo de contato do pé no chão é maior, essa força é distribuída no solo (veja infográfico Dissipe Contusões)”, diz Laurino. O choque que as passadas causam no corpo é um dos grandes responsáveis por lesões, como tendinite e fratura por estresse. Exercitar-se em um terreno fofo também desenvolve a propriocepção (capacidade do cérebro de reconhecer o posicionamento das partes do seu corpo sem precisar da visão). Quanto mais apurada for essa habilidade, menor o risco de você fazer movimentos incorretos, que podem causar contusões musculares ou torções. Mais: segundo Pinnington, quando você corre na areia ela se molda ao redor do pé, reduzindo a pronação e a supinação da passada (inclinação do pé para dentro ou para fora, respectivamente). Aí, você fica menos suscetível a sofrer entorses nos tornozelos e joelhos.

PEGUE A TRILHA CERTA
As vantagens de treinar nas diferentes partes da praia

• Areia fofa
A textura do terreno exige grande esforço de você, para se movimentar. Você queima muitas calorias e desenvolve força e resistência muscular.

• Areia molhada
Como é mais fácil se mover nesse piso, você se cansa menos. É ideal para fazer treinos longos (acima de 40 minutos) ou de velocidade (intervalados).

COM OU SEM TÊNIS?
Prós e contras de correr com ou sem calçado

“Ao correr descalço, o contato do pé com o solo, sem nada para diminuir a sensibilidade, turbina ainda mais a propriocepção (leia mais no item Menos Lesão)”, diz Porozzi. “Além disso, traz maior sensação de bem-estar.” Mas, sem tênis, você pode queimar o pé na areia quente ou se machucar ao pisar em pedras, conchas, espetos… É preciso tomar cuidado. Se botar tênis, passe vaselina nos pés antes de vestir as meias. Assim, você diminui o atrito da pele com grãos de areia que podem entrar no calçado e evita bolhas.

Matéria: http://menshealth.abril.com.br/